Blog / Cuidados

Cuidados e técnicas para tatuagem para terceira idade

27 de janeiro de 2022 Luciana Leal Compartilhar facebook Twitter
Idoso-homem-da-terceira-idade-tatuado-sorrindo

Cuidados e técnicas para tatuagem para terceira idade

Quando falamos em tatuagem, logo associamos tal tipo de arte aos jovens, não é mesmo? Embora essas pessoas sejam realmente a maioria, a procura por tatuagem para terceira idade tem aumentado gradativamente em estúdios de todo o Brasil.

Foi-se o tempo em que os indivíduos mais maduros tinham de ser recatados: hoje em dia, há muito mais liberdade para se procurar autenticidade e realizar as próprias vontades, independentemente da idade.

Mas quem é tatuador deve ficar atento a algumas especificidades desse público e, assim, atender ao cliente da melhor maneira possível. Nessa fase, a pele é mais elástica (e a cicatrização, mais difícil). Além disso, algumas complicações podem aparecer.

Quer saber mais? Neste artigo, vamos abordar a tatuagem para terceira idade e quais cuidados o profissional deve tomar antes, durante e depois do procedimento, além de investigar os motivos que têm levado pessoas dessa faixa etária aos estúdios. Acompanhe!

Por que alguém procura fazer tatuagem na terceira idade?

A procura por tatuagem nos estúdios só tem aumentado ao longo dos anos, dada a popularidade que essa prática vem ganhando. O estigma social negativo em relação aos indivíduos tatuados reduziu bastante e, hoje, é cada vez mais raro encontrar alguém que não tenha algum desenho pelo corpo, por menor que seja.

Para se ter uma ideia dessa crescente popularidade, o mercado de tatuagem cresceu 20% em 2016 e mais 24,1% em 2017, ignorando a crise que afetou outros setores. Ainda no período da  crise sanitária , a partir de 2020 o crescimento é constante.

Embora a maioria das pessoas que procura por essa modificação corporal seja jovem, o público da terceira idade também tem ido aos estúdios para fazer sua primeira tatuagem.

Os motivos são variados! Muitas vezes, trata-se de:

  • buscar satisfazer vontades que não foram realizadas na juventude;
  • homenagear filhos, amigos e parentes queridos;
  • procurar expressar sua liberdade,;
  • um desejo de demonstrar seus gostos pessoais;
  • eternizar seu amor pela arte da tatuagem.

Quais são as diferenças entre a pele jovem e a madura?

Com o envelhecimento, algumas mudanças acontecem no corpo (e isso é perfeitamente natural). A pele perde a elasticidade devido à diminuição da produção de colágeno, ficando mais suscetível a lesões.

Na terceira idade, a estrutura da pele fica mais frágil em todas as suas camadas — epiderme, derme e hipoderme —, o que a torna mais fina, além de propensa a rugas, linhas de expressão e manchas. Se tais problemas não forem tratados ou acompanhados por um dermatologista, podem evoluir para melasmas e, até mesmo, câncer de pele.

Outro ponto de atenção com a pele madura é a diminuição de produção nas glândulas sebáceas, ou seja, a cútis fica mais seca e precisa de um reforço na hidratação. Além disso, com o envelhecimento, o corpo fica mais suscetível a doenças circulatórias, Diabetes e hipertensão, que também podem afetar a saúde da pele.

Por fim, algumas pessoas ficam mais propensas a ter úlceras na pele caso essa região seja perfurada, o que faz com que a tatuagem se torne um risco. Os fatores que podem contribuir para esses casos são:

  • predisposição genética;
  • tabagismo;
  • doenças;
  • excesso de exposição solar;
  • abuso de álcool durante a vida.

homem-velho-com-o-rosto-tatuado

Quais cuidados tomar antes da tattoo?

Pelas características da pele madura, o tatuador precisa ter alguns cuidados especiais ao trabalhar com as pessoas dessa faixa etária. Os pontos de atenção estão relacionados aos locais do corpo:

  • é bom evitar lugares com manchas, visto que isso pode atrapalhar o acompanhamento do dermatologista e a prevenção de tumores;
  • membros inferiores, a depender da saúde do cliente, podem gerar úlceras ao serem lesionados;
  • mãos, pescoço, pulso e calcanhar são as áreas em que a pele é mais fina, o que requer um cuidado especial;
  • lugares mais flácidos podem demorar mais para cicatrizar. Isso deve ser observado pelo tatuador na hora de aconselhar o cliente quanto a uma possível mudança;
  • pessoas com histórico de queloide devem ser desaconselhadas a realizar o procedimento ou ter o acompanhamento de um dermatologista, visto que a cicatrização pode gerar tais lesões.

O ideal é que o tatuador, além de estudar bastante as especificidades da pele madura por meio de cursos, aconselhe seu cliente passar por uma consulta prévia com o dermatologista. O profissional vai identificar possíveis alergias, o histórico de doenças e outros fatores que podem impedir a realização da tatuagem ou exigir cuidados na hora de tatuar.

Quais as melhores técnicas para tatuar?

Os principais pontos aos quais o tatuador deve atentar são: o lugar em que será feito o desenho e a paleta de cores escolhida — que precisa ser usada com inteligência para, assim, ressaltar a beleza da pele madura.

Ao trabalhar o local, ele deve ficar atento a todas as questões do tópico anterior e, também, ao fato de que, pela estrutura mais frágil da pele, o cliente da terceira idade sentirá mais dor durante o procedimento. Portanto, o ideal é que sejam feitas mais pausas ou que haja mais de uma sessão para completar o desenho.

Outro ponto importante é procurar especializar-se nesse tipo de cliente. Para tanto, é recomendado buscar por cursos específicos, que cubram todas as especificidades de se tatuar uma pele madura.

E depois da tatuagem? Como cuidar?

A pele da terceira idade, por ter menos colágeno e uma estrutura mais frágil, apresenta dificuldades de cicatrização. Isso quer dizer que o período de recuperação da tatuagem será bem maior e exigirá um acompanhamento mais próximo.

Além dos cuidados de sempre, como pomada cicatrizante e evitar sol, piscina ou praia, é recomendável fazer a suplementação de colágeno. Essa substância ajuda no processo de cicatrização e acelera a recuperação, evitando as temidas úlceras.

Outro cuidado essencial é o uso de hidratantes específicos para essa faixa etária, que ajudarão a tatuagem a se recuperar sem quebrar ou perder a tinta.

É fundamental que o tatuador estude bastante e oriente seu cliente a ter cuidados redobrados com a tatuagem. Assim, a arte trará apenas a expressão e a beleza desejadas pelo tatuado, sem nenhum efeito indesejado.

A tatuagem para terceira idade é uma tendência crescente e, portanto, vale a pena estudar mais esse público. Gostou de nosso artigo e quer mais dicas para melhorar seu trabalho como tatuador?