Blog / Artes

Diversidade artística: Arte urbana e grafite

4 de junho de 2020 Equipe Find Compartilhar facebook Twitter

Quando falamos sobre grafite imaginamos que é um movimento mega recente, mas existem relatos de intervenções públicas feitas lá no Império Romano. Além dissso,  frequentemente, o grafite por muitos anos foi visto como contravenção. Atualmente, está configurado no meio das artes visuais, especialmente na arte urbana, sendo uma intervenção artística nos muros da cidade.

Arte Urbana: Grafite

O Grafite contemporâneo surgiu nos meados dos anos 70 lá em Nova York, nos Estados Unidos – mais precisamente no bairro Bronx . O grafite por si só é uma intervenção urbana que possui uma crítica social.

O  grafite está relacionado com o movimento Hip-Hop, iniciado nos anos 70 também, e envolve três movimentos artisticos: música, que é o Rap; a dança, representada pelo Break dance, e por último, mas não menos importante, a pintura, que é o Grafite.

Dessa forma, o grafite, é um movimento advindo das artes plásticas. É uma intervenção direta na cidade.  Aproveitando espaços públicos.

A princípio a palavra grafite vem do italiano graffito – plural graffite, traduzido como escrita em carvão!

Artistas urbanos…

Batemos um papo com Kawany Tamoyo! Kakaw, como é conhecida,  é artista urbana e designer. Sua pesquisa é uma mistura entre as raízes indígenas e o urbano, criando imagens em suportes diversos, subvertendo padrões sobre o feminino e os povos indígenas.

Kakaw, considera que o grafite é por si só a arte visual mais democrática! Pois ela está nas ruas, nos muros: independente do seu bairro/rua, você verá uma intervenção artística! Ela ressalta que o grafite independe de galerias de arte, o que o torna acessível à qualquer pessoa.

 

Para ela, o grafite recria ambientes e conta novas histórias. Afirma que, por muitas vezes, o  grafite modifica a identidade de um determinado local – rua, bairro, beco -, alterando a percepção de moradores, visitantes e curiosos.

Kakaw revela que a arte assume grande parte de sua vida: “A arte me inspira em geral, desde um livro, um filme, uma música. Não só produzindo, eu consumo arte, eu vivo e respiro isso o tempo todo.”

Gostou do texto? Deixe um comentário e nos siga no instagram.